sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Três vogais e três consoantes


Escrevi, desenhei, pintei, recitei
E nada....
Corri, brinquei, cantei
E nada...
Pensei, pensei e pensei
E Parei…

Tinha deixado de escrever,
Perdido letras em conceitos que não se parecia comigo
Tinha confundido realidade e irrealidade
Apenas queria uma pouco mais de algo que sempre tive…

Cortei, rasguei, procurei,
E nada...
Corrigi, menti e gritei
E parei…

Sem ti não me consigo suportar
És um querer sem apetecer,
Um apetecer que foi sem querer

Não entendo mas gosto,
Não te vejo mas imagino,

Como olhar sem ver…
Como Andar deambulando
Como Sentir sem me emocionar
Como Perder sem jogar

Como estar, não mercando presença
Como ouvir sem entender
Como falar não pensado
Como tentar esquecer relembrando

Dói-me a alma,
Meti-lhe mais um penso…
Mas acho que vou é mesmo parar de pensar

É incrível,
Como de um silêncio esquecido passas a ser uma grande prioridade cada vez que te oiço murmurar…

Entras assim em cena…
De rajada…
Efeito secundário?
Arrefecesse as minhas ideias
Inflamam-se os pensamentos…
Alteras as minhas prioridades

Três Vogais e três consoantes e tenho o coração a 3000 emoções/segundo
Três sílabas e fico com convulsões…
Três segundos e…
Resisto, tento e desisto…

By:SrProprio

2 comentários:

Sininho disse...

As vezes pergunto me se tu e eu de facto existimos
(lol direi)

(Sem Palavras...
Elas perdem o sentido quando não há razão para serem pensadas...)

MariaEduarda disse...

ADORO.